sexta-feira, 24 de junho de 2011

Hari-Bolo (sem ovos)

Bolo é uma palavra sânscrita que significa "cantar". Hari é um dos nomes da Suprema Personalidade de Deus. A famosa palavra "Haribol" significa "cante os nomes de Deus", e Haribolo é uma variante dessa palavra. Apelidei essa receita de Hari-Bolo para brincar com as palavras e sempre me lembrar de Krishna, o vaqueirinho sapeca transcendental de Vrindávana, que gostava de roubar leite, iogurte e manteiga das gopis (as vaqueirinhas), além de outras guloseimas.

Uma das coisas mais "chatas" de ser lactovegetariano (e veganos também passam por isso), é não poder comer bolo na rua ou em festas de aniversário. As pessoas se espantam com a ideia de fazer bolo sem ovo, mas isso é plenamente possível e mais do que isso, a massa fica muito mais leve. Esta receita me foi passada por Sri Radhe devi dasi e fico feliz em compartilhá-la com os leitores de Tomate Cru!

Ingredientes:
4 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 xícaras (chá) de açúcar cristal
1 xícara (chá) de leite
1 xícara (chá) de leite de côco
4 colheres (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de fermento

Modo de preparo: Misture primeiro a manteiga e o açúcar e quando ficar homogêneo vá colocando o trigo e depois os líquidos. Bata bem. Por último coloque o fermento. Depois de colocar o fermento, não pode ficar batendo a massa, deve-se apenas mexer o suficiente para misturar o ingrediente.

O forno tem que estar aquecido previamente. Deixe 15 minutos no forno alto e o resto no forno médio até dourar a massa. Para saber o ponto, fure com um palito no meio do bolo, quando sair sequinho, pode retirar do forno.


Quem me passou a receita escreveu o seguinte: "Eu costumo rechear com doce de leite ou brigadeiro branco e a cobertura tem várias opções. Eu gosto muito de pôr chantily que é só comprar a caixinha e bater. É prático e todo mundo gosta."

Eu já fiz acrescentando chocolate na massa e batendo a massa na mão, porque não tinha batedeira no lugar onde estava. Deu certo. Com cobertura de chantily de chocolate também fica uma delícia, agradou à criançada. Este eu coloquei chantily branco e pedacinhos de chocolate. Solte a imaginação na hora de confeitar!! Detalhe: eu sou péssima como confeiteira, tenho até boas ideias, mas sou pouco habilidosa para isso. =(




Estando pronto, é oferecer ao Senhor Supremo e compartilhar a prasada!


quinta-feira, 23 de junho de 2011

Lasanha de abobrinha

Meu noivo ama lasanha e ama abobrinha. Então, um dia, sugeri fazer uma lasanha de abobrinha. Ele gostou muito, mas reclamou porque eu coloquei molho branco e ele prefere molho de tomate. Repeti então a dose, dessa vez com molho de tomate. Acabei errando para menor no sal e perguntei ao meu noivo "Fora a falta de sal, está bom?", e entre uma garfada e outra ele sussurrou de boca cheia "Anrã". rsrs

Há de se observar a massa da lasanha. Da outra vez fizemos com uma massa pré-cozida da Adria, que não tinha ovo. Dessa vez a única que encontramos sem ovo necessitava ser cozida em água salgada. Recomendo essa da Adria que é bem prática, é só montar, e não tem ovo. Ou, como fizemos agora, qualquer marca italiana serve, porque os italianos não colocam ovo na massa. Digo isto, vamos à receita então!

Essa eu recomendo, e não to sendo paga pra isso! rs

Ingredientes:
400g de massa para lasanha
400g de mussarela fatiada
50g de parmesão ralado
700ml a 1 litro de molho de tomate
1 abobrinha italiana
azeitonas fatiadas sem caroço
1/4 de pimentão verde picado
um punhado de semente de mostarda
um punhado de orégano
uma colher (chá) rasa de gengibre em pó
uma pitada de cominho
sal a gosto

Modo de preparo:
Corte a abobrinha no sentido do comprimento em tiras bem fininhas. Se seu descascador de legumes não permite fazer tiras finas, faça com uma boa faca. Reserve e faça o molho. Aqueça o óleo numa panela e coloque as sementes de mostarda. Tampe a panela e espere. Elas vão estourar como pipocas, quando o barulho parar, abra e coloque o pimentão para refogar. Depois coloque o molho de tomate e vá acrescentando as azeitonas, orégano, gengibre, cominho e sal. Desligue o fogo e comece a montar a lasanha numa assadeira de vidro.

Primeiro coloque a massa e cubra com molho. Então coloque uma camada de abobrinha, uma de queijo mussarela e volte a colocar massa e molho. Vá intercalando assim: massa > molho > abobrinha > queijo. Termine com a camada de queijo e salpique queijo parmesão e um pouco de orégano por cima. Leve ao forno pré-aquecido por 15-20 minutos, mais ou menos a 200ºC de temperatura.

Ofereça a lasanha ao Senhor Supremo e tenha seu dia de Garfield!!!


segunda-feira, 20 de junho de 2011

Torta de palmito

Ontem eu estava a fim de fazer uma torta de liquidificador super gostosa e prática, mas estava sem a receita na casa do meu noivo. Então ele resolveu fazer uma torta de palmito, mas na verdade ele mudou o recheio. Mesmo assim ficou gostosa e nós estávamos pensando que seria nosso almoço hoje, mas quando chegamos do templo vimos que o pai e a namorada do pai dele comeram bastante da torta. Geralmente ele nem come muito dessas coisas que preparamos, ou seja, dessa vez foi aprovadíssimo. Sendo assim, estou compartilhando a receita com vocês! Haribol!







Ingredientes
Massa:
4 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 xícara de leite
1 xícara de óleo (usei manteiga)
1 colher (sopa) de fermento
1 colher (sopa) rasa de sal

Ingredientes do Recheio:
curry a gosto
cinco palmitos picadinhos
100g de azeitonas picadas sem caroço
2 tomates picados
100g de milho verde
ghee para refogar

Modo de preparo:Primeiro, você deve fazer o recheio. Na verdade é muito simples, basta refogar tudo em fogo brando, tomando o tomate como parâmetro. Não se deve deixá-lo amolecer por completo. Misture bem para que todo o recheio pegue bem o curry e fique alaranjadinho.



Agora a massa. Essa dá um pouco mais de trabalho e requer alguma prática. Misture todos os ingredientes numa vasilha grande. Amasse com as mãos até ficar bem macia. Essa é a parte chata. Força, amor e paciência (por aqui, foi meu noivo quem fez, coloca o homem pra trabalhar!). Reserve, deixe descansar por meia hora e então abra metade da massa em assadeira untada. Coloque o recheio frio e cubra com a outra metade da massa. Coloque um pouco de manteiga por cima para não ressecar quando for ao forno e salpique orégano e alecrim.

Leve ao forno pré-aquecido por 40 minutos.


sábado, 18 de junho de 2011

Macarrão oriental com brócolis

Tá com pressa? Quer fazer uma refeição rápida, saborosa, mas sem recorrer ao miojo? Seus pobrêma si acabaram-se!! Macarrão oriental com brócolis é a solução!!!


Refeição instantânea com requinte oriental.




Outro dia cheguei em casa com fome e com pressa. Tinha que arrumar o filhote rapidinho para ele não se atrasar para a escola e ainda tinha que cozinhar. O que fazer? Miojo? Nãããão! Tive uma ideia muito melhor, mais saborosa e nutritiva. Meu filho adorou!

Brócolis e molho shoyo.
Ingredientes:
cebolinha
salsa
pimentão amarelo
sal a gosto (não exagere)
pimenta-do-reino em pó
curry
brócolis (usei um ramo só, mas pode ser mais)
um vidrinho de molho shoyo
250g macarrão oriental tipo bifum
ghee (para ser vegana, usar azeite)

Modo de Preparo:

Pacote de bifum cru.
 O bifum é extremamente fácil de rápido de fazer, mas exige atenção. É só pôr a água para ferver e depois afundar o bifum por um (1) minuto na água fervente e escorrer, se não ele "derrete". rs Trata-se de um macarrãozinho fininho feito de arroz, eu usei esse cabelinho de anjo que é bem rápido, mas existe bifum mais grossinho e também em forma de macarrão parafuso.

Fiz o molho à parte. Coloquei os temperos (cebolinha e salsinha cortadas bem pequenas) para refogar no ghee em uma panela, e em outra panela dei uma refogada no brócolis, separadamente. Depois de juntar os dois conteúdos refogados em uma só panela, coloquei o molho shoyo e deixei ferver. Lembre-se, o molho shoyo já é salgado, cuidado para não exagerar! Eu na verdade usei a mesma panela, refoguei primeiro o brócolis, então o reservei num potinho e refoguei os temperos. Menos coisa pra lavar depois. =)

Então desliguei o fogo e misturei o molho com brócolis e temperos ao macarrão já cozinho até ele ficar todo pretinho, e ofereci ao Senhor Krishna. O brócolis fica al dente, quem preferir mais molinho, é só cozinhar com bem pouquinha água, para não perder todas as propriedades nutritivas.


Apenas um minutinho na água fervente e está cozido!
Esse macarrão também é ótimo para fazer yakibifum (uma variação de yakisoba) e yakisoba vegetariano junto com um macarrão mais grossinho. Fica uma delícia!!! Esse macarrão vai bem com legumes cozidos, saladas cruas (cenoura, beterraba e repolho ralados ficam uma delícia, ou saladas de folhas), e até com empadão de legumes (vou ficar devendo a receita por hora, vou ver se rola fazer amanhã).

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Sweet Dhal - Dhal de Lentilhas com Batata e Cenoura

Dhal (ou Dahl, ou Daal, ou Dalदाल) é um prato típico indiano com muitas variações. A base consiste de um "guisado" feito de legumisonas (lentilhas, ervilhas ou feijões), contendo (ou não) legumes e vegetais, servido com arroz ou pão.

Esta receita é de uma variação conhecida como Sweet Dhal, ela é feita de lentilhas com batata e cenoura. Resolvi postar porque, além de ser super nutritivo, um Dhal bem quentinho nesse tempo frio é uma delícia!

INGREDIENTES:
- 250g de lentilhas
- 2 tomates médios picados
- 3 batatas médias cortadas em rodelas e sem casca
- 2 cenouras médias cortadas em rodelas e sem casca
- 150g de molho de tomate
- óleo para refogar
- sal, folhas de louro, curry, cominho e pimenta a gosto




PREPARO:
- Deixe a lentilha de molho por 1 noite caso você não use panela de pressão
- Faça um refogado com o óleo, os condimentos e o tomate
- Acrescente a lentilha e mexa por aproximadamente 2 min
- Acrescente as rodelas de batata e cenoura, o molho de tomate, e aproximadamente 1,5l de água (essa quantidade de água pode variar de acordo com o tempo de cozimento da lentilha, amasse com um garfo para saber o ponto)
- Deixe cozinhar até que o caldo fique grosso e a lentilha e legumes estjam cozidos
- Ofereça, sirva com arroz e aprecie ;)

Dica de temperos: Fica muito com com gengibre, cheiro verde e mostarda em grão também. Mas nesse dia estava sem nenhum desses temperos maravilhosos em casa =(

terça-feira, 14 de junho de 2011

Grande Muralha

Vou começar uma nova categoria aqui no Tomate Cru chamada "Onde Comer", na qual vou mostrar pratos vegetarianos e veganos de restaurantes em geral (vegetarianos, veganos, naturais e "regulares"). E como primeira postagem dessa categoria, teremos uma cozinha chiesa e japonesa regular: Grande Muralha. A rede tem vários restaurantes no Brasil, o que eu vou sempre é o do Shopping Tijuca (RJ).


Vamos as opções. O prato da imagem foi do meu almoço do Dia dos Namorados (sim, já era o meu Ekadasi =~ ) com preparações do buffet self-service da casa.

VEGANAS:
1 - Yakisoba de Legumes
2 e 4 - Sushi de Abacaxi, Manga e Pepino
3 - Sushi de Kiwi
6 - Sushid e Manga e Pepino
7 - Rolinho Primavera de Legumes
8 - Tofu grelhado
9 - Brócolis cozido
11 - Bifun com Vegetais


OVO-VEGETARIANAS:
10 - Arroz Especial com Ovos e Vegetais (Não sou muito fã, mas coloquei no prato por causa do post. Afinal, há quem coma)

TAMBÉM É POSSÍVEL:
5 - Sushi de Cenoura com Pepino RETIRANDO o Kani (meu namorado que adora quando faço isso porque ele é quem come as "sobras", rs)

Apesar dos enúmeros pratos com camarões, peixes e etc, taí a prova de que dá pra comer bem mantendo a dieta vegetariana / vegana na Grande Muralha.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Strogonoff de Soja com Champignon

O strogonoff é um prato de origem russa que faz sucesso desde o século XIX. E não é porque somos vegetarianos/veganos que vamos abrir mão desse prato suculento, não e verdade? Existem muitas variações de strogonoff vegetarianos e veganos por aí. Hoje vou apresentar uma dessas variações que fiz recentemente em minha casa para um almoço com amigos. O prato foi aprovadíssimo até pelos meus amigos que comem carne que ficaram surpreendidos com o sabor =)


INGREDIENTES:
- 200g de PVT grossa hidratada e "desfiada" como explicado nesse link (para essa receita usei a PVT clara)
- 340g de molho de tomate
- 1 caixa de creme de leite (pode ser de soja para os veganos)
- óleo para refogar
- 1 colher de sopa de mostarda em grãos
- 100g de champignon picados
- 1/2 lata de milho
- 2 tomates
- 1 colher de chá de curry
- 1 colher de chá de noz moscada
- sal e pimenta a gosto

PREPARO:
- Em uma panela coloque o óleo para reforgar com a mostarda em grão e tampe. Conforme o óleo for esquentando os grãos da mostarda vão começar a estalar e vão ficar mais escuros, o barulho é parecido com o de pipoca, e quando o barulho parar você pode abrir a panela e acrescentar os outros temperos, o tomate e a PVT. Refogue em fogo baixo, mexendo por aproximadamente 5 min (o segredo desse strogonoff é a mostarda e o tempo do refogado antes do molho).
- Após refogar, acrescente o molho de tomate e 300 ml de água. Deixe cozinhar com a tampa da panela semi-aberta até a água evaporar e o molho ficar cremoso.
- Então, desligue o fogo. Acrescente o milho e o creme de leite e mexa até a coloração do molho ficar homogênea.

Ofereça e sirva com arroz branco e batata palha =)

Rendimento: 6 pessoas almoçaram bem e 5 ainda repetiram, deixando a panela vazia!

domingo, 12 de junho de 2011

Pão de Queijo

Hoje é ekadasi, dia de não consumir grãos ou cereais. Os devotos Hare Krsna brincam que é dia de cantar "om pão de queijaya namaha", então, trouxe uma receita de pão de queijo que meu noivo faz e fica uma delícia!

Ingredientes:

3 batatas inglesas médias
cerca de 300g de polvinho doce
leite
ghee / azeite
500g de queijo mussarela ralado
200g de queijo parmesão ralado
sal a gosto




 
Modo de preparo:
Cozinhe as batatas e faça um purê. Em uma tigela misture o purê ao polvilho, queijos, um pouco de ghee (fizemos esse com azeite) e leite. Dose o leite e o polvinho até formar uma massa macia que não grude nas mãos. Então enrole umas bolinhas de tamanho desejado e leve ao forno pré-aquecida em forma untada, até dourar.

Colocando azeite na massa de batata, polvilho e queijo.

Esperando para ir ao forno.

Apreciação:
Meu noivo achou que dessa vez ficou "queijo demais" no pão de queijo e por isso ficou enjoativo. Eu gostei, as crianças idem. Sempre há a opção de colocar menos queijo e mais batata para um pão "menos queijo". rsrs Vale ir experimentando, duas vezes por mês, nos ekadasis. hahaha ;))

Hare Krishna!!!

Nitai e Tota Gopinatha prontos para abocanhar o pão de queijaya.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Tomates Verdes Fritos

Mês passado eu estava na casa de uma amiga e vi que ela tinha um livro que me chamou a atenção:

FLAGG, Fannie. Tomates Verdes Fritos no Café da Parada do Apito. São Paulo: Globo, 1993.



Lembrei que na época do lançamento do filme, ele vinha com um encarte com algumas receitas, entre elas, a de Tomates Verdes Fritos. É um dos meus filmes favoritos e até então, eu não tinha provado o prato ainda. Folheei o livro em busca de possíveis receitas dos tomates que inspiram o layout do nosso blog e não é que eu encontrei? Adaptei as receitas porque as originais tinham gordura de bacon e ovos, e resolvi fazer o teste drive. Compartilho com vocês uma das minhas cenas favoritas no filme, em que as protagonistas de uma parte da estória preparam pela primeira vez o prato hoje apresentado aqui. Na primeira tentatia, não dá muito certo, mas depois esse vira um dos pratos principais da casa. Apesar do título do filme, os tomates verdes e fritos não são o foco da narrativa.

Bom, vamos às receitas!!!
Tomates Verdes Fritos.

Tomates Verdes Fritos

Ingredientes:
1 tomate verde médio (por pessoa)
sal
pimenta
farinha de milho branca
ghee

Modo de preparo:
Corte o tomate em rodelas grossas, entremeie com sal e pimenta e depois cubra com farinha de milho. Em uma frigideira grande, ponha o ghee de modo a cobrir toda a base da frigideira e doure as rodelas de tomate levemente de ambos os lados.

Tomates Verdes Fritos ao molho de leite.
Tomates fritos esperando pelo molho de leite.

Tomates Verdes Fritos com molho de leite

Ingredientes:
3 colheres de sopa de ghee
4 tomates verdes firmes, cortados em fatias largas
iogurte natural ou creme de leite
migalhas de pão seco
farinha de trigo
leite
sal
pimenta

Modo de preparo:
Aqueça o ghee numa frigideira. Mergulhe as fatias de tomate no iogurte (ou creme de leite), depois nas migalhas de pão. Frite-as até dourarem de ambos os lados. Ponha os tomates num prato. Para cada colher de sopa de ghee que houver na frigideira, acrescente uma colher de sopa de farinha e misture bem; depois despeje uma xícara de leite morno e deixe engrossar, mexendo constantemente. Acrescente sal e pimenta a gosto. Despeje sobre os tomates e sirva.

Apreciação:
Fiz um tomate verde frito e três tomates verdes fritos com molho de leite. Não fui muito com a cara da primeira receita até provar. O tomate fica meio doce, meio apimentado, e derrete na boca. Fiquei extasiada. Uma delícia, devorei tudo e lamentei não ter feito mais. O tomate com molho de leite também é uma delícia, e também derrete. Ele fica mais crocante do que o outro, e satisfaz mais do que o outro (é uma preparação mais calórica também). Ambos são muito gordurosos, mas como eu fiz no ghee, ficou delicioso. Realmente, tem que ser feito em algum óleo temperado, azeite com ervas e coisas assim, isso é importante para dar sabor. Eu gostei muito do resultado. Não tenho hábito de comer fritura, mas para de vez em quando, vale. Olha como o tomate derrete por dentro. É uma das razões pelas quais ele não pode estar maduro.




Rende pouco, cada tomate dá quatro fatias. Na primeira receita, um tomate por pessoa não dá nem pro cheiro. Na segunda, como foi embebido no creme de leite, empanado com farelo de pão e ainda tinha o tal do molho, dois tomates foram suficientes para que eu ficasse satisfeita. Levando-se em consideração que ninguém vai servir apenas tomates fritos em um almoço, o anfitrião pode calcular mais ou menos quantos tomates deve usar para seu número de convidados. Outra coisa importante, eu fiz tanto com tomate bem verde quanto com tomate mais ou menos verde (já avermelhado, mas durinho, ainda não maduro). Fico bom com ambos, e eu não sei dizer qual fica melhor. Meu noivo disse que tomate verde não é tomate não maduro, mas um tipo de tomate, como "maçã-verde", e que não é fácil encontrar no Brasil. Não sei se procede, mas que ficou uma delícia com nosso tomate, ficou. =)

Uma boa dica de comidinha pra fazer no dia dos namorados e convidar o gatinho pra assistir o filme. Para quem não tem namorado nem pretendido, vale o programa com as amigas. =)


quarta-feira, 8 de junho de 2011

Este blog é contra a discrimição de qualquer SER VIVO!

Passando aqui rapidinho, não para falar mostrar alguma receita, mas para falar de uma imagem que se tornou muito popular no Facebook nos últimos dias. A imagem diz:
"Esta pessoa é contra a discriminação aos homossexuais!"
Hoje, eu vi uma edição desta imagem que dizia: "Esta pessoa é contra a discriminação aos homossexuais qualquer SER HUMANO!"
Então resolvi fazer uma nova edição e compartilhar com vocês. Caso alguém tenha vontade de ser a pessoa que a imagem menciona, sinta-se a livre para usá-la em seu perfil na rede.


Afinal, já dizia Krishna no Bhagavad-Gîtâ V.18:
"Os sábios humildes, em virtude de conhecimento verdadeiro, vêem com uma visão equânime o brahmana erudito e cortês, a vaca, o elefante, o cachorro e o comedor de cachorro."

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Panqueca de Espinafre e Ricota

A receita de hoje vem de um livro de receitas lacto-vegetarianas chamado Gosto Superior. É um livro pequeno, com receitas simples, sendo sua maior parte baseada na culinária Indiana. Recomendo o livrinho, que pode ser encontrado na internet com facilidade por aproximadamente R$10,00.

Mas vamos falar da receita, quem não gosta de panqueca? É uma delícia, não é verdade? Vou apresentar as receitas da massa e do recheio do livro aqui com alguns comentários pessoais. A massa é VEGANA e o recheio é LACTO-vegetariano. Como a receita foi retirada do livro, vou colocar comentários pessoais em itálico =)

INGREDIENTES DA MASSA:
3 xícaras de farinha de trigo
2 colheres de óleo
1 colher de sobremesa de fermento em pó
4 xícaras de água
Curry
Sal

INGREDIENTES DO RECHEIO:
1 maço de espinafre
200g de creme de leite fresco
200g de ricota
2 colheres de sopa de óleo

PREPARO:
Aspecto das panquecas. Os pontos mais escuros na massa são as bolhas que ela forma ^^
Junte todos os ingredientes da masssa numa tigela e misture muito bem. Se preferir, use o liquidificador (eu usei o liquidificador e dá super certo, além de ser muito prático).
Numa frigideira quente, em fogo baixo, vá pingando a massa formando grandes círculos e cozinhe por dois minutos (utilizei uma concha média para media a quantidade de massa e uma frigideira média anti-aderente, a minha dica é que você use uma frigideira do tamanho que deseja que a panqueca fique e cubra todo o fundo dessa frigideira com uma camada fina da massa). Logo que aparecerem bolhas, com uma espátula vire e cozinhe este lado por mais dois minutos (se tiver dificuldades para tirar com a espátula é porque a massa não está totalmente cozida deste lado, ela fica soltinha quando está no ponto, tanto que eu consegui girar com facilidade as panquecas sem nem precisar de espátulas).
Prato finalizado, delícia!

Close do recheio na panqueca.
Pique o espinafre. Numa panela refogue o espinafre com manteiga e sal (repare que a manteiga não está na lista de ingredientes, no livro também está assim, rs. No meu caso eu usei ghee para refogar o espinafre, também coloquei cheiro verde picadinho e nós moscada), depois junte a ricota e o creme de leite (utilizei somente 100g de ricota, não sei se o maço de espinafre que eu tinha era pequeno, mas achei que 100g foram o bastante para fazer um recheio uniforme). Recheie as panquecas com este recheio.

>>>>>>>>>>> + DICAS e outras informações: <<<<<<<<<<<<<<<
Close da cobertura.
- SUGESTÃO: Cobrir as panquecas com molho de tomate e queijo parmesão ralado. Pode levar ao forno convencional ou ao microondas para dar uma derretida no queijo.
- RENDIMENTO: Nas proporções mencionadas na receita eu obtive um rendimento de 9 panquecas como as das fotos.
- RECHEIO ALTERNATIVO:  Já fiz a receita substituindo o espinafre por 1 cenoura grande ralada e ficou ótima!
- PANQUECA VERDE: Se for bater a massa no liquidificador, experimente adicionar um pouco de cheiro verde, o sabor fica espetacular e as panquecas ficam verdinhas *-*
- EKADASI: Já adaptei essa receita para Ekadasi e substituí a farinha de trigo por fécula de batata e o óleo por ghee e dá super certo! O sabor é o mesmo, e como a receita é muito prática virou uma das minhas queridinhas em Ekadasi! Atenção: é preciso usar o liquidificador, e a massa não pode ficar parada muito tempo senão ela vai ficando bifásica. Toda vez que observar que isso está acontecendo, dê mais uma batidinha no liquidificador. Pode acontecer também da massa ficar mais elástica, mas não se preocupe, é normal.
As panquecas acompanhadas de arroz branco com ervilhas.








PS: Antes de experimentar ou servir, não esqueça de oferecer. O gosto se torna ainda mais superior  ;)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...